Sobre o provincianismo

Estive a pensar, por várias vezes em minha vida, sobre o provincianismo, mesmo quando ainda não o conhecia pelo nome. O sentimento de indignação para com ele levou-me, primeiro, a escrever um romance do qual não me arrependo enquanto biografia, mas, por assim dizer, enquanto arte (enquanto arte foi um fiasco!). Mas o sentido da investigação daquele longínquo romance adolescente hoje me parece claro: descobrir a origem do provincianismoprovincianismo. De qualquer forma, os poemas não acrescentariam em nada a matéria se eu cometesse a insanidade de publicá-los… Em seguida, iniciei um outro romance (dessa vez de maneira muito mais consciente) cuja ação se passava predominantemente no bairro da Barra da Tijuca (se é que aquilo poderia se chamar “bairro”). Os personagens – hoje vejo claramente – eram representações quase caricaturais do gentio provinciano. Ou seja: muito da má qualidade do que eu esboçava escrever era devido à insistência sobre um tema cuja abordagem ainda não foi plenamente resolvida pela literatura. Mesmo Fernando Pessoa, ao tratar desse assunto, esteve perto de não conseguir cercar a questão de modo satisfatório. Agora, fui para uma nova tentativa de romance: algo em torno de um bibliotecário setentão, poeta amador, prestes a ser compulsoriamente aposentado da Biblioteca Nacional  e que, no último dia de trabalho, ganha um iPad e rouba um livro que ele julga intocado e desconhecido. O livro narra a saga de uma família a partir do casamento de um carioca com uma lisboeta. Ao tomar como última missão de sua vida em torno dos livros resolver o mistério em torno daquela família, Álvaro, o bibliotecário, passa a reatar também as pontas de sua própria vida. Muito provavelmente o livro compreenderá o intervalo de tempo de 1888 e 1985. Muito provavelmente eu não terminarei esse livro. Porém, enquanto isso, leiam o capítulo acerca do provincianismo português, escrito por Fernando Pessoa.

http://multipessoa.net/labirinto/portugal/8

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre o provincianismo

  1. Espero que vc termine este livro!! Sobre o provincianismo é realmente difícil… Todos o odiamos, mas todos acabamos por ter um pouco dele… Afinal, somos brasileiros né, e isso já diz muito… Parabéns pelo texto, estás afiado como nunca e delicado como sempre =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s