Sandy Leah e Devassa, uma questão de acento

Como muitos de vocês sabem, em julho do ano passado escrevi um texto polêmico sobre a Sandy que, no mês seguinte, tornou-se uma mini-febre entre os fãs, rendendo-me muitos xingamentos, críticas, inúmeros comentários aqui etc. O texto continua a ser um dos mais acessados do blog e continua rendendo risadas. Tanto que acabei de atualizá-lo, separando-o em parágrafos, que eu não utilizava, e trocando o link para o youtube que havia vencido.

De lá para cá virei uma espécie de fã da Sandy às avessas. Sempre dão um jeito de tocar no assunto perto de mim. Ou seja: tornei-me um especialista em Sandy. Então aqui vamos nós…

Com esse decote e essa boca, quem se lembrará da velha Sandy?

Com o lançamento da campanha da cervejaria Devassa com Sandy, chamado sugestivamente de “Todo mundo tem um lado devassa” (eu, não! Devassa me dá dor de cabeça no segundo gole, um terror!), a cantora e a cerveja voltam com tudo. Ambas tiveram problemas seriíssimos ao mudar de nicho. Sandy, que terminou a dupla e precisou ganhar o público adulto, e a cerveja, que saiu dos bares, de sua condição de cerveja de pequena escala de produção, para produto de ampla disseminação, num tipo de mercado totalmente saturado de marcas.

Pelos comentários que tenho visto, as pessoas estão enxergando a questão de maneira incompleta. Creem que é a cerveja que se aproveita da imagem de Sandy. Eu já acho o contrário, não deixando de considerar, no máximo, uma relação biunívoca. Também vi comentários do tipo: eles querem vender para jovens. Não concordo. Eles já fazem isso muito bem. Qual é, então, a questão?

No carnaval do ano passado, a Devassa fez o óbvio: contratou uma mulher com um dos maiores apelos sexuais do mundo, a saber, Paris Hilton, para vir ao seu camarote na Sapucaí (em si um atrevimento com concorrentes tradicionais) para lançar sua cerveja. Mas qual era a imagem que a marca estabelecia? Uma cerveja para quem tem gosto refinado, para pessoas que ousam, pessoas que gostam de quebrar parâmetros estabelecidos, que gostam do prazer sem limites. Qual o problema? Nem todo mundo é (nem pode ser) a srta. Hilton. A marca (eu falei isso de cara ano passado) teria grandes problemas de ganhar o público C e D. E, ainda por cima, corria um risco altíssimo de enfrentar certas opiniões conservadoras dentro do público A e B de maiores de 35 anos e a ira feminina, porque era uma campanha com leves conotações machistas, quando as outras marcas recuavam nesse sentido, fazendo campanhas para ganhar o público feminino, historicamente deixado de lado pelas cervejarias.

Qual a diferença agora? A Devassa precisava responder a um problema que certamente aparecia nos relatórios do marketing: por que raios não conseguimos aumentar nossa participação no mercado, que não chega a 1% do total? Por que não vendemos para públicos que não AB de jovens entre 18 e, sei lá, 30 anos? Por que temos dificuldade com mulheres se, dizem as pesquisas, elas já consomem mais bebida alcoólica do que os homens? A Devassa precisava chegar lá. Ora, de fato, todo mundo tem um lado Devassa. Você pode esconder, você pode ter vergonha de tomar minha cerveja, de abraçar a minha marca que tem a Paris Hilton como imagem de frente, mas no fundo, lá no fundo, você tem um lado devassa para mostrar ao mundo. Se eu lhes mostrar uma mulher irrepreensível, casada, mostrando seu lado devassa, vocês vão mostrar os seus? Bingo! Eis um briefing que todo publicitário espera a vida toda para ler.

Sandy já vinha dando entrevistas que tentavam transformar sua imagem, mas o resultado era sempre dúbio: algumas frases de impacto de gente grande, mas, todo o resto, o velho jeito Sandy de ser, e sua carreira indo para o ralo… Durante um bom tempo ela tentou manter essa imagem ambígua, em que mensagens como “eu já tomei um porre!” e “eu não preciso me libertar” coexistiam (em vão). Dessa vez, Sandy dá para o público um indicativo claro de que, sim, mudou. Pensem bem… Vocês não se sentiram de repente um pouco injustos por ainda estarem pensando na menininha Sandy em detrimento da Sandy devassa? No comercial, Sandy e Jr. não se tornaram, de vez ,um passado distante? Pois é… Bem-vindos ao mundo mágico da publicidade. Com um contrato renovável de um ano, você não vai mais lembrar dela cantando A Lenda, e até vai considerar ficar excitado pensando nela sem se sentir culpado. Fiquem tranquilos: a partir de hoje, pensar na Sandy nuazinha em pelo não será mais considerado um pecado, mesmo que ela seja maior de idade há dez anos.

Podem acreditar: o disco dela vai voltar a vender, o próximo será mais ousado, ela vai dar entrevistas cada vez mais reveladoras, vai começar a ser um ícone de liberdade, e a Devassa, durante o processo, vai participar cada vez mais ativamente do mercado, vai mudar sua imagem perante o público, fazendo com que a Paris Hilton seja passado e, quem sabe, no fim dessa novela a Sandy se mostrará mais devassa que a primeira. Seja vestindo a camisa da marca ou vestindo a camisa do que é de verdade, lá no fundo, aquele fundo do qual gente nem desconfiava.

PS: Vale a pena ver o vídeo abaixo, que só corrobora para o que eu disse no post.

Anúncios

13 comentários sobre “Sandy Leah e Devassa, uma questão de acento

  1. Pedro,
    Obrigado pelos elogios. Tenho certeza que todos da tropa Flusser têm muito talento.
    Abração!

  2. Guilherme, você me surpreende a cada texto seu que leio. Você é de uma criatividade invencível. Olha, pode crer, admiro muito seu talento e, por mais que a gente não converse muito (ou nada) na UERJ, te tenho como inspiração.
    Parabéns.
    Adoro seu blog.
    Abraços.

  3. Fernanda,

    Obrigado pelo longo e cuidadoso comentário. Faça a assinatura do blog e passe aqui sempre que puder.
    Não recebi seu convite de amizade no facebook.

    Beijos!

  4. Acho que a maioria dos homens não se sentem culpados em desejar a Sandy, ou meninas como a Sandy (boa parte talvez ñ assuma). Inclusive esse jeitinho de cocótinha… sou devassa de brincadeirinha; mostro, mas ñ tudo; dou depois de meses de encontro… é o que ganha na grande maioria das vezes… Acho um porre!
    Sou mais a devassa assumida… ñ que eu goste de Paris Hilton (p/ mim o mundo sobrevive bem sem ela… ) O que me cansa no Brasil é o velho discursso machista e hipócrita.
    O comercial com a HIlton foi censurado porque era uma ofensa às mulheres brasileiras… com tantas brasileiras famosas fazendo a linha gostosa como cerveja em outras propagandas… qual o sentido?
    Adorei algo que li, acho que na Carta Capital, ñ tenho certeza… uma mulher fodástica que representa as feministas no Brasil (ñ lembro o nome dela) afirmou que a liberdade da mulher é uma conquista que admiti, inclusive, que e mulher opte por ser objeto, se assim ela desejar e se sentir bem com isso. Qualquer mulher… penso igual.
    Independente de qualquer dor… foi uma puta sacada dos caras da publicidade… Entreanto, a cerveja ñ me ganha… (diferente da pura…ñ tão pura Sandy, eu gosto de cerveja, e essa ñ me convenceu, desde a época do “experimenta!”) Quanto a carreira daSandy… Se quer conquistar o público adulto, que gosta de boa música… que vá fazer um bom disco, ñ é? Mas, grana é grana… Eu li que ela ganhou 300 mil a mais que a Paris Hilton… arrasou!
    Esse é a relidade, esse é o mundo… ñ vamos dormir na pia por isso…
    Ah, adorei tudo que escreveu… espero que me aceite em seu facebook!
    bjs

  5. É exatamente esse o meu problema com ela. Essa sinalização dúbia que ela sempre dá pro público.
    Essas mudanças são artificiais mesmo se forem verdadeiras. Ou seja: eu até acho que ela tenha o lado devassa, mas ô menininha reprimida, cara! Ela é reprimida demais. Sente culpa por tudo. Ela faz o comercial meio pedindo desculpas.
    PQP!

  6. Oii
    amei seu textoo mtoo bom!!! ahh mais fala serio, no video em que ela mostra a propaganda ela vai que nem uma menininha…. assim fica dificil associar a sandy – mulherão…

  7. OLá, Cicinha! Obrigado!!
    Eu tinha visto esse vídeo. Na verdade eu vi o programa.
    Foi isso que eu quis dizer com as mensagens dúbias que ela deixava…
    Eu mesmo peguei ela falando de porres de cerveja, de chopp em barzinho.
    E aí eu volto pra aquela coisa do texto do suicídio dela, em que eu a comparo com o Michael Jackson. Enfim…
    Eu acho que é por aí…
    Ainda vai dar merda nisso aí! Aposto nisso!
    Hahaha

    Beijos!

  8. Ah, Camilinha, obrigado!
    Eu gosto muito do seu blog também. Só não gosto mais porque não entendo muito! hahahaa
    Beijinhos!

  9. Caramba! até fim de casamento vc aposta. hahaha não sei não viu… aposto q ela irá seguir um casamento na msm linha dos pais: bem longo
    Acho que consegui entender melhor a Sandy depois q assisti o documentario do cd dela, por isso não creio que ela despiroque mas q se liberte desses tabus que estao pregados a ela ha anos.
    O jeito mesmo é esperar o tempo passar pra ver o desenrolar dessa historia! hehe

  10. Obrigado, Carlos.
    Então! Eu acho que esse é o primeiro ponto dela começar a despirocar, sim. Mas são conjecturações minhas. Um dos cenários mais prováveis do que pode acontecer.
    Acho que o contrato fará muito bem a ela!
    Quanto a sociedade pensar que é o fim da carreira, ou se tá forçando uma imagem, acho isso uma besteira.
    Acho que não, não é o fim da carreira. Pelo contrário, acho que é um recomeço muito bom e muito oportuno e sobre ela forçar uma imagem, acho que ela forçou a vida inteira uma imagem, e agora ela quer ser a Sandy, pô.
    Não dou 3 anos pra aquele casamento acabar.
    Pode escrever.

    Abração!

  11. falou tudo e um pouco a mais… rs
    concordo que seja um ponta pé pra quebra da imagem dela, mas não acho que ela despiroque daqui pra frente (fiquei na duvida se foi isso que vc quis dizer no ultimo paragrafo)
    eu ainda fico confuso se o contrato fará bem ou mal pra ela, ou se será abafado daqui um tempo e voltará tudo como antes.
    porem a nossa sociedade é muito burra e a prova disso é o retorno negativo dessa campanha, de julgarem que é o fim da carreira da sandy, que ela tá forçando uma imagem e blablabla… mas na real essa galera nao ta entendendo o motivo da propaganda(q vc esclareceu perfeitamente bem no texto).
    Dai eu nao sei, se vai fazer bem ou mal pra imagem dela. Gosto muito da Sandy e acho q posso me considerar um fã, da pessoa, cantora…
    Espero muito que consigam enxergar ela como adulta daqui pra frente, dando crédito ao trabalho e a pessoa dela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s