O gigante acordou ou levantou para fazer xixi?

passeata aérea rio de janeiro

I

Podemos garantir: os historiadores terão muito trabalho. Primeiro porque o povo que tomou as avenidas faz parte de uma massa heterogênea que até ontem era imiscível; não há lideranças visíveis; os canais estão abertos e todos os setores da sociedade brasileira irão participar do jogo; o movimento não veio para explicar, mas para confundir. Uma dica a quem não está entendendo nada e precisa de um repertório introdutório: somos a geração que assistiu aos filmes Clube da LutaMatrix, V de Vingança e O Cavaleiro das Trevas. Mas comece pelo V de Vingança, muito mais urgente. Não temos rosto, usamos máscaras, nós somos todo mundo, o caos encarnado, mais Coringa que Batman. Há pouca concordância entre nós mas, naquilo em que concordamos, não iremos recuar. Vocês já perderam, portanto reduzam os danos enquanto é tempo.

II

Vão sempre noticiar que somos menos do que realmente somos, em número e em capacidade de atuação. Nós não estaremos nas ruas para mudá-los, mas para mudarmos. Vocês não vão mudar e é por isso que muitos de vocês não servem mais. Do asfalto esburacado das grandes avenidas brasileiras nascerá uma juventude inquieta que desconfiará dos discursos pré-fabricados, das fórmulas que não funcionaram, dos esquemas que são apenas bonitos, do entretenimento que tenta nos anular e do plano de vida que nós não queremos ter.

III

Nós falaremos sério, rindo. Nós assistiremos seu canal como deboche. Nós leremos sua coluna para sabermos o que não queremos ser. Nós não vamos disputar espaço: aqui, cada um tem o seu papel. Nós confundiremos analistas enquanto pudermos. Nós devolveremos o trauma. Nós somos muito bem informados e está cada dia mais difícil nos enganar e nos confundir. Quando começou o milênio, vocês pensaram que tinham nos derrubado nos mantendo em casa, mas rapidamente descobrimos como nos achar. Queremos a rua de volta!

III

Menos Prozac, mais voz!

IV

Direitos humanos é uma luta diária. Hoje é o morador da favela. Logo, logo é qualquer um, por motivo nenhum. Indigne-se em defesa do próximo.

V

A distância entre democracia e estado de exceção é, infelizmente, pequena. Nós criaremos um estado de emergência nas ruas que corresponda à nossa emergência interior.

VI

Menos câmeras de vigilância e mais cinema!

VII

A luta não é contra o sistema. Lutamos para nos inserirmos num sistema que nos excluiu. Não queremos o nosso dinheiro subsidiando empresas de transporte. Nós queremos o fim do lucro criminoso e ultrajante! Vinte centavos foi a diferença entre ir e ficar. Nós queremos ir!

VIII

A biopolítica nunca foi tão importante. Olhe-se nu no espelho: como as coisas estão indo, esse corpo é cada dia menos seu.

IX

Desconfie da mídia se ela mostra apenas um lado. Desconfie mais ainda se ela subitamente quer mostrar os dois. No momento em que ela estiver do seu lado, descarte-a: ela te trairá mais cedo ou mais tarde.

X

Nós sabemos que o Brasil não é tão ruim quanto dizem os que querem tomar o poder à força, nem tão bom quanto dizem os que não querem largar a cadeira oficial. Nós não queremos mais consumo e mais crédito! Nós não queremos mais índices e pesquisas mentirosas! Nós abandonaremos a nossa revolução se vocês revolucionarem a saúde e a educação brasileiras. E não falo apenas de destinar mais dinheiro: nós queremos comprometimento contínuo na mudança! Nós queremos projetos de longo prazo postos em prática e os de curto prazo começando amanhã!

XI

Um professor vale mais que o Neymar. Um médico vale mais que o Eike Batista. FIFA, nós gostamos de futebol, sim, mas gostamos ainda mais de nosso povo. Vocês analisaram mal, muito mal, quando pensaram que iriam instaurar suas leis, seus esquemas, suas remoções hediondas e nós ficaríamos calados. Aguentem a ressaca!

XII

O movimento estudantil organizado irá se iludir, se deprimir, se dividir e, quarenta anos depois, seus líderes escreverão livros de memórias com os dizeres: “nós erramos”? Não, não caiam no erro. Não façam discussões intermináveis, não desperdicem força e não tenham a pretensão de liderar. Vocês já venceram! Vocês começaram tudo isso e continuarão vencendo se continuarmos juntos! Não debatam com termos antigos, criem uma nova linguagem, ajam e deixem agir! A História saberá que foram vocês que acenderam a centelha. Deixem de lado as brigas internas e aproveitem! Não permitam que a classe média coxinha lidere, mas levem em consideração presença dela.

XIII

O governo de São Paulo queria saber com quem negociar. O governo do Rio de Janeiro quer saber com quem negociar. Não há liderança e, se houver, ela não representa ninguém senão a si mesma. Deixem eles se desgastarem eleitoralmente, sem saber por que, sem saber onde e como, e eles vão, talvez, começar a entender o que nós sentimos dia após dia. As balas vêm de todos os lados? Ótimo. É assim que vocês nos tratam.

XIV

Sabem o que é unânime? O Poderoso Chefão é o maior filme de todos os tempos. Família Soprano, o maior programa de televisão da História. E sabem por quê? Porque para onde olhamos há atividade mafiosa. Nós somos o Michael Corleone sentado numa festa de família odiando fazer parte de uma estirpe mafiosa, esperando a hora em que seremos obrigados a nos corromper. E, quando nos corrompermos, passaremos a vida frustrados por descobrirmos pouco a pouco que não é apenas a máfia ilegal e criminalmente punível que atua em nossas vidas, mas as estruturas mafiosas que permeiam todos os aspectos legais da vida; uma atividade contínua executada por gente de colarinho branco e carros oficiais, fazendo esquemas pelas nossas costas. Nós não queremos mais ser apenas espectadores da barbárie burocrática! Nós não queremos mais trocar confidências de esquemas! Nós não queremos uma vida assim!

XV

Ser contra a corrupção, todos somos. Esqueçam a ideia de uma revolução moral. Precisamos de uma revolução cognitiva que seja árdua, permanente, autorreflexiva e auto-crítica.

XVI

Não hostilize os partidos políticos e os movimentos sociais. Desculpe o choque de verdade, mas isso é tipicamente fascista. Respeite-os! Eles já lutavam por ideais antes de você nascer, lutavam pelas melhorias que hoje você luta até semana passada, apanhando de polícia com seus parcos companheiros e, quando você estiver casado, com filhos e assistindo ao Fantástico, eles continuarão lutando. Seja apartidário – é um direito seu não se identificar com partido nenhum, assim como não me identifico completamente – mas não seja anti-partidário. Cuidado com o discurso do “Sem nenhum partido, pela nação!”, pois isso se parece muito com “Pela nação sem nenhum partido!” Ditadura, em outras palavras. E saiba, com toda a responsabilidade que disso decorre, que se você não está na esquerda, está na direita. Centro, só o da cidade, que é onde estaremos enquanto não atingirmos os nossos objetivos. Posicione-se!

XVII

Não seja ufanista. O Brasil não é lindo. Não há um futuro glorioso nos esperando. Um país é fruto de uma luta diária, paciente, perene, com pequenas revoluções, pequenos atos, mudanças constantes, autorreflexão contínua. O gigante acordou como acordou outras vezes, mas a História mostra que sempre teimamos em voltar a dormir. Não durma! Esteja para sempre atento!

XVIII

Quebrar e depredar é uma atitude válida quando é política, direcionada, com manifesto e não quebra-quebra aleatório. Você acha que o banco te explora quando pega o extrato? Quebre o banco e piche: “Parem de me explorar, safados!”. Acha que o Cabral merece ter a casa quebrada para sentir a fúria? Quebre e deixe um recado. Pichar muros com dizeres políticos é política, é revolta legítima. Mas não destrua patrimônio particular de trabalhadores que são tão explorados quanto todos nós. Ele está do seu lado. Ele é você! Direcione sua fúria, se a fúria é sua linguagem. Mas durma com essa: trabalhadores vão limpar toda a sua fúria amanhã pela manhã. E custa caro. E eles vão dizer que custa mais do que custa de fato, como sempre. Ponha esse dado na balança e peça ao menos desculpas.

XIX

Não busque respostas. Faça novas perguntas.  Você não é um idiota que viu a internet crescer. Você viu o maior ataque terrorista da História, genocídios na África, duas guerras americanas hediondas, os maiores países do mundo em crise, Oriente se insurgir contra ditaduras e o Brasil receber injeções diárias de desânimo. A História de nosso país é uma história de levantes, revoltas, insurgências (e, infelizmente, de golpes; cuidado!). Abrace o seu tempo. A História é agora.

XX

Não sei o que significa o gigante ter acordado porque não sei que gigante é esse. Se é um gigante autoritário, excludente, homofóbico, machista, racista e moralista, melhor continuarmos dormindo. Mas se é para acordar um gigante nunca visto e que pretende inspirar a mudança, então tire o seu pijama, escove os dentes e parta para a luta comigo!

Anúncios

120 comentários sobre “O gigante acordou ou levantou para fazer xixi?

  1. O povo que saiu as ruas não é o mesmo que votou no atual governo, o país é plural, logo, é possível verificar pelo grande número de abstenções no segundo turno. Aqueles que ainda insistiram no PSDB não votaram no candidato e sim no antigoverno. O atual governo comprou sim da massa ignorante o seu voto. Mas uma conta de 51,5 contra 48,5 só demonstra que a população politizada tem medo do que mais está por vir.

  2. Pingback: Não falta clareza, falta vontade de enxergar | Mari Pimenta

  3. Objetividade, clareza, propriedade. Elementos raros de ser ver juntos em um texto com tamanha coesão. Parabéns! Faço minhas cada uma de suas palavras! E vamos permanecer lutando: batalha a batalha, dia após dia. Uma contínua caminhada de um passo por vez é muito mais rentável que um único tiro de uma corrida!

  4. Prezado Guilherme
    Vc pensa bem e escreve melhor. Texto impecável. Raciocínio brilhante.
    Bola prá frente. Sucesso!
    Espero e torço q todos vcs consigam algo de melhor para todos nós brasileiros. Avante!
    Cordial abraço
    Gabriel S Brandão

  5. Parabéns pelo texto, meu caro! Além de um texto muito bem estruturado, conseguiu o que tem sido mais difícil na velocidade da internet: inspirar um grande número de pessoas para que leiam… Vamos nessa!

  6. Guilherme. Parabéns pelo teu texto, que achei espetacular, à altura do momento. Recebi da Tânia Pacheco do blog de Combate ao Racismo Ambiental. O momento é inquietante e nos enche de esperança. Todo apoio às lutas dos povos, contra a opressão do sistema do capital. Viva a juventude. Aguardo outros textos.

  7. wow amei as referências, contribuem para moldar nossas opiniões. Conseguiste descrever muitíssimo bem a situação. Parece que estávamos vivendo em “1984” e de repente os proles se deram conta da realidade. Gostaria que não parasse, gostaria que as pessoas notassem o quanto somos cordeirinhos e que a massa tem mais poder do que Eles.

  8. Estou até agora tentando escolher um trecho para compartilhar, mas não consigo. Texto muito perspicaz, de uma inteligência e um humor ácidos e sutis. Parabéns.

  9. Muito bom texto. Tenho 60 anos, sou ex-astróloga, educadora ambiental e coordenadora do Projeto PlanetAtivo que atua na comunidade de Campinho. Concordo com tudo o que você disse. Afinal entramos na era de Aquário (revolucionário e imprevísivel) e na casa do Destino está o signo de Escoripião. Simbolicamente, quem manda no mundo agora é o de Escorpião: Plutão, deus dos subterrâneos que julgava as pessoas após à morte, condenando-as ou recompensando-as. As mudanças que estão por vir são muito mais profundas do que você possa imaginar. Todo mundo vai ter que perder: emprego, casa, status , pessoas e referências. O mundo evoluiu de uma maneira injusta, mas talvez isto faça parte do filme. Afinal os cientistas estão buscando a confirmação de que a nossa realidade é virtual. É importante estar consciente do seu papel no filme e tentar na margem de livre arbítrio que temos, atuar de forma corajosa, mas lúcida, sem perder a noção de que por trás do filme há um diretor. Ou uma ordem maior que organiza a nossa realidade.

  10. Pingback: O gigante acordou ou levantou para fazer xixi? | Arquivo Político

  11. Guilherme de Carvalho: O texto ficou muito bom! Várias questões acima ponderadas, por outros comentadores merecem sua atenção; trabalho de pesquisa sobre Liberalismo, Democracia, Socialismo, Comunismo…Eu sempre li muito sobre “Democracia- Em defesa das regras do jogo” ,”Direita e Esquerda-razões da Ordem”, “Liberalismo e Democracia no Brasil” e muitos outros; isso nos da maior fundamentação ao escrever. Porém, a Democracia é o caminho do Socialismo e que é o caminho do Comunismo; há dicotomias em visões de alguns dos comentaristas acima, ou seja, um candidato se sair do Partido, como já foi dito, perde sua candidatura (Fidelidade Partidária); pode-se ser apolítico? não, pois fazemos política, quando escolhemos o que colocamos em nossa dispensa e as marcas. Podemos ser a partidários? sim, mas por experiência, depois de ser em Diretoria de Movimento Sindical vi que não era o melhor caminho, pois me colocavam em várias situações de aperto, pois eu não tinha “cor” e quem me acusasse ou defendesse, Policicamente falando; assim o politicamente correto foi me filiar, sim! Ainda o melhor Sistema é a Democracia, a fim de evoluirmos para outros!…gostaria de estar dentro do movimento, usando minhas cores ou as cores de meu partido e as cores do Brasil; penso q em movimentos sociais, dentre outros, deve haver tb o q alegaram aqui q não tem retorno parece q-ue em Facebook (comentarista): ele levantar a bandeira do PSDB, por exemplo e q está utilizando do movimento, segundo várias evidências; ele levanta a dele lá e eu levanto a minha cá, pois nossas idéias são muito diferentes, porém o Espaço é Democrático, pois é um movimento aberto a população brasileira e com reivindicações legítimas; há crise de ideologias(há pessoas que não têm e nem sabem o que é Ideologia) e Programas de partidos na prática; o q ocorre é falta de colocar a teoria=o programa em prática; qto a questão da depredação, sou contra qualquer tipo de , além de ser contra qualquer forma de violência a começar da simbólica; estudei todos os partidos para ver com qual me identificava …e foi com o PT que me identifiquei, pois nunca havia visto trabalharem como Militantes de Direitos Humanos e Cidadania e o leque é amplo, AMEI. Entrei no movimento pelo passe livre p estudantes, não reajuste de tarifas públicas e outras q foram agregadas e vi pessoas serem agredidas, vi muitas coisas estranhas, busquei abrir os olhos de muitos, os protegendo e a mim também, pois tenho experiência em Movimentos Sociais, Movimentos Sindicais( e sindicatos representam sim, seus trabalhadores-vejam o (a) líder e como ele ou ela age-aqui é para um comentarista acima)…Também vale a pena estudar e pesquisar um pouco de Econômia Política, Antropologia e Sociologia. O que precisamos é de construir mecanismos para nossos representantes colocarem em prática o que foi acordado=Programa de Governo em prática e sempre estar junto daqueles que elegemos, acompanhando. Movimento sem liderança eu sou contra, pois ficamos vulneráveis, quando não temos quem dê o tom, após ouvir os liderados e entre, quando seja a hora de dizer as reivindicações, fazendo a interlocução com os que estão com o Poder de Fazer com que as Reivindicações aconteçam na prática. Quando há vazio de poder alguém ocupa, e isso não podemos deixar, pois é onde entra a Direita que é para os ricos e classe média alta…ou a Ditadura, que é o q eu chamo de “Tortura Nunca Mais”…corpos esquartejados, estratégias de afogaento em vasos sanitários….famílias q não conseguem enterrar seus mortos e q lutavam como nós lutamos! Falta de liberdade de expressão e Opressão! E fizeram uma colocação perfeita acima sim, sim e sim: GUILHERME DE CARVALHO-VOCÊ É ESQUERDA e RADICAL! Mais uma vez parabéns e reescreva o mesmo texto depois de fazer o que eu sugeri e demais, se assim for de sua vontade e disponibilidade…aprimore! Marister Carvalho

  12. cara, você é muito criativo. Argumentação e escrita impecáveis, nem precisaria dizer. E o melhor de tudo, a sagacidade, o humor, sem tirar a seriedade da discussão. Adorei!

  13. Pingback: Não falta clareza, falta vontade de enxergar | Diário da Pimenta

  14. AMIGO, a revolta está generalizada e unida , acordamos sim de saber que somos o povo, que temos forças , as fileiras engrossando, O gigante é golias e nós somos Davi, Pois este gigante cairá com um insignificante pedra catapultada bem no meio da testa, O gigante caiu. Derrepente deparamos com us inteligentes, comentando sobre e não tem resposta, porque eles nunca souberam e não sabe oque estão fazendo sentado na sua cadeira. A medida exata para ir na veia é como estamos todos no mesmo propósito, ir de norte a sul deste país e divulgar que nas eleições de 2014 mudaremos nossa estoria e eles não entenderão oque aconteceu , que o povo brasileiro tem um só objetivo derrubar esse governo safado.
    Duvilguemos comforme orientação de um jurista, de não muito distante, postou que não devemos ir as urnas e anular o voto, pois e suspeito adulterarem ,. oque deverá ser feito é que pegue sua familia no dia das eleições e sai de sua cidade da juristição de sua zona eleitoral vai passear , e jusrifique seu voto. Sejamos unidos ,. Vamos derrubar candidatos das mesmisses. de 30 anos de poder. Sendo assim . Pára tudo e haverá um plevescito exigido pelo povo . E estes candidatos sórdidos não poderão se candidatar e sim gente nova que n tem vínculos partidários. pense que não são eles , e sim nós nas urnas somos o poder de renovação.
    CEGAAAAAAAAAAAAAAAAA. MUDAMOS OU MUDAMOS

  15. Me tornei sua fã após a leitura do texto! Brilhante! Não hesite em continuar expondo sua opinião.

  16. , cara você É O cara vou ACRESCENTAR o sequim te ,eu sempre tento votar no politico menos ruim mas infelizmente o menos ruim nÃO VALE NADA . o que deveremos fazer para mudar mas mudar tudo mesmo acho que pelo voto não mudaremos nada .obrigado .Julio.r.gusso

  17. Cuidado com o sofismo!! O texto é muito bom, e foi muito bem escrito, porém no meio de muitas verdades, se incluiu a questão do vandalismo ser legitimo (HÃ?) Não existe essa de quebrar e depredar com inteligência, isso não tem o menor sentido!!! Cuidado pessoal, não se deixem levar completamente por uma boa retórica!! Sempre atentos

  18. Obrigado por ter emanado tanta lucidez. Obrigado pelo prazer que me proporcionou ao ler seu texto “gigante”. Na verdade, o gigante é você.

  19. Após ler e ouvir o que o líder do MPL continua valendo o que eu disse no primeiro dia das manifestações. Ele que acha que é um líder mas é somente outro cagão semi-politizado.

    Assim como toda a juventude que hoje tem entre 15 e 30 anos, não lê e não se informa. São superficiais e efêmeros como a internet, google e facebooks da vida. Não tem raízes, não tem história nem histórico de vida. Não sabem o que quer da vida. São rebeldes sem causa. O pior de tudo não é o povo, massa de manobra, seguir esse pseudo-líder. O pior depois de tudo isso que causou e ocasionou é ele vir a público dizer que “não foi dessa vez” que ele conseguiu seu intento. Ora, em todo o momento ele só estava pensando em resolver o problema pessoal dele: o passe livre. A reivindicação é parcialmente justa, tudo bem. Porém a nação estava e está clamando por resoluções de problemas graves e MUITO MAIS SÉRIOS do que apenas um passe livre. Este rapaz se tivesse um mínimo de instrução, inteligência e culhão roxo! puxaria pra si a responsabilidade e quem sabe ser o porta-voz de uma nação que pede por melhores condições de trabalho e vida. Perdeu o trem. Agora ele partiu.

    A história nos ensina que todo pseudo-líder é antes de tudo um cagão, basta alguém confrontá-lo com ele que foge com o rabo entre as pernas.

    E agora? Muito bem, fostes lá, empunhastes um cartazinho, destes gritinhos com palavras de ordem, cumpriste o teu dever de cidadão. Agora podes voltar pra casa feliz, desrespeitando todas as leis de transito que conseguires desrespeitar. Dê uma paradinha no supermercado, aproveite a vaga reservada para deficientes, ninguém tá vendo mesmo. Compre produtos de marcas que fodem com seu país e também patrocinam a Copa do Mundo, afinal ninguém é de ferro, né? No caixa pague com o cartão Bolsa-familía e Bolsa-gás que você conseguiu simulando pobreza, afinal todo mundo é corrupto mesmo não é? Mas não esqueça de fura a fila do caixa levando sua mãe idosa de 60 anos que faz academia mas também podes pegar o filho da vizinha que está em casa jogando vídeo game.

    Na saída, não esqueça de dar umas moedinhas do troco para a criança abandonada que pede esmola, ou compre 1 jujuba para que você durma em paz com a sua consciência fétida, fique tranquilo. Mais tarde você se manifesta a favor da diminuição da idade penal e coloca esse “dimenor” da jujuba na cadeia. Chegue em casa feliz, pegue as revistas e jornais dos vizinhos que estão na caixa de correspondência, quem manda serem otários, né? Entre e coloque seus filhos na frente da TV para que Xuxas e demais demônios globais possam educá-los com eficiência e rapidez afinal você tem que pagar a prestação daquele automóvel que está muito acima do teu orçamento mas precisas parecer que tem conteúdo.

    Agora vá para o quarto, relaxe e ligue a sua TV de 50″, aproveite a programação da TV a gato que vc rouba de algum vizinho otário, assim como o sinal da internet dele porque seu filho educado por você, conseguiu a senha do wi-fi dele, o mundo é dos vivos, não é mesmo? Assista aos comentaristas esportivos falarem do seu time do coração e demais pragas que ajudam as autoridades a lavar dinheiro sujo, ou indigne-se com o Pseudo moralista/escritor Arnaldo Jabor falando mal do governo pra conseguir mais uns pontinhos no Ibope pro patrão mafioso.

    Enfim, use e abuse daquilo que é inerente ao nosso amado povo brasileiro; “Levar vantagem em tudo”. Afinal, vc já deu seus gritinhos, já fez a sua parte no protestinho.

  20. Muito bom.. isso sim serve de incentivo para nós jovens brasileiros!!!
    Gostei muito!!!

  21. Excelente texto, interessante, e faz pensar, mas nao esqueça de uma coisa, o multipartidarismo nao existia no comunismo, chamar o fascismo de antipartidarista é esquecer que no comunismo-stalinista, nao existia multipartidarismo, colorario.. os extremos se juntam, facismo e comunismo sao identicos na sua identidade ditatorial, ou seja, a direita e a esquerda, na pratica, sao iguais… mataram os que pensavam diferente… portanto, ser apartidario nao é ser fascista, e sim representa a reacao contra os partidos que nao NOS representam… nao tenham medo do antipartidarismo, novos partidos surgirao em breve, fazendo cair a corja corrupta que a maiorias das legendas hoje representa…. com o PT na frente delas…

  22. O problema dos partidos nas manifestações é que eles começarão a tomar frente como sendo responsáveis por estes movimentos. Todos são livres para participarem, você não precisa levantar uma bandeira partidária pra isso. Todos sabem que no Brasil temos pouquíssimos partidos com ideais, com vontade real de mudar o país. A grande maioria se preocupa apenas com a pura disputa por poder.

  23. Vamos combater o mal pela raíz. Enquanto nosso sistema eleitoral não for mudado, todas as mazelas decorrentes permanecerão. Vivemos um momento singular, onde as manifestações saem das redes sociais e alcançam as ruas. Momento mais que propício para a Reforma Política por Iniciativa Popular ganhar adesões e consequentemente força suficiente para impedir que maus políticos tentem, mais uma vez, legislar em causa própria. Fora isso, gostaria de deixar a seguinte indagação: HÁ QUANTO TEMPO NÃO TEM LICITAÇÃO PARA O TRANSPORTE URBANO EM SÃO LUÍS (MA)? E nas outras cidades??

  24. Pingback: Quem não sabe o que procura não descobre quanto encontra – #protestomaterno | Buteco Feminino - Mesa para Conversa de Mulher

  25. Muito bom o texto!
    Minha opinião é de que é chegado o momento de surgirem “novos conceitos de partidos políticos” (digo partido para que possa bater de frente com os existentes hoje) para que essa geração possa se organizar e retirar todos os que estão no poder. Só acho engraçado (hoje passou noticia sobre isso) que estão aprovando de maneira rápida medidas para dificultar a criação de novos partidos….
    A maioria de nós hoje repudia esse conceito de “partidos” por tão traumático que é e foi, mas penso que ainda é a unica forma de organização para entrar no governo e começar mudanças.
    Ainda não consigo ver o que virá a ocorrer…mas vejo uma onda de pessoas mais interessadas em tirar foto no protesto pra postar no facebook e isso me deixa em dúvidas (sem generalizar!)
    Acho que so teremos mudanças na “verdadeira continuidade” disso tudo e organização séria de nossa geração.
    Apenas meu ponto de vista…

  26. Se texto é ótimo, lúcido e preciso! salvo a parte do quebra, quebra… isso foi, é e será fracasso da linguagem, impotência confessa. Onde há violência há fracasso de autoridade (de si, inclusive!). Fazer-se entender de forma enfática é uma construção frequente e não tem fórmula prévia nem posterior! falar com agressividade e não com violência deve ser o próximo aprendizado na nossa condição humana. Pedir desculpas depois de quebrar deliberadamente algo é imaturidade de comunicação. Fico com muita bronca qdo gente, com tanto recurso, joga a toalha e reproduz o padrão de linguagem que critica.
    Violência é o que o governo tem feito conosco. Você vai reproduzir o que critica e acha que vai mudar o quê com isso?
    Violência é preguiça de encontrar saída nova!!

  27. Falou td e mais um pouco daquilo que realmente é e eu compartilho. Adorei o post ! é bem por ai!

  28. O BRASIL NÃO PRECISA DE PARTIDOS, PRECISA DE INTEIROS! NÃO SE APRESSEM EM ESCOLHER REPRESENTANTES DO MOVIMENTO, POIS PELAS SUAS NATUREZAS HUMANAS, SÃO VULNERÁVEIS À CORRUPÇÃO. QUE A INTERNET CONTINUE, POR ENQUANTO PELO MENOS, A SER O VEÍCULO DA VONTADE DO POVO,

  29. Parabéns pelo teu texto, ele propõe uma reflexão necessária em muitos pontos. Discordo, primeiramente, da perceptível (mas sutil) conotação de propriedade do movimento que o teu discurso traz. Reconheço que existem pessoas (partidos, movimentos, etc..) que “lutam” por direitos humanos, igualdade e democracia antes de protestar virar pop. Essas pessoas são mais experientes e possuem mais discernimento acerca do que é real, do que é manobra política, midiática e oportunista. Portanto, acho que essas pessoas e aí te incluo, deveriam, como disse a Lela, se transformar em “professores da revolução”. Explicar ao invés de criticar. Ensinar ao invés de excluir. Ninguém precisa ser chamado de alienado gratuitamente. Precisamos somar as forças, seja as de direita, seja as de esquerda.Os “de direita” também querem educação de qualidade, segurança pública e saúde eficiente. Os “coxinhas” também repudiam a corrupção. Cada um que deixa de ir à rua tem o seu motivo e não é, necessariamente, um covarde. Cabe a vocês, que estão nessa linha de frente, esclarecer àqueles que também têm seus próprios motivos e insatisfações a respeito do país e querem participar. Chega de querer levar os créditos pelo pioneirismo, pela alcunha do nome da manifestação. Basta de perder tempo discutindo conceitos e analisando teorias políticas e econômicas antagônicas. Vamos aproveitar o que nos une, o desejo de um Brasil melhor. Crescer juntos e viver essa igualdade (tão defendida pela “esquerda”) na prática. Sejamos todos superiores. Que sejamos apenas um povo (partidário, antipartidário, apartidário) unido e que “direita” e “esquerda”, nesse momento, sejam só direções espaciais opostas.
    Em segundo lugar, acho que a violência pela violência jamais pode ser tolerada e, muito menos, como no teu post, incentivada. Talvez fosse válida (e eu discordo) em um primeiro momento para chamar a atenção da própria população, das autoridades e da mídia para o movimento. Mas agora isso não é mais necessário. A fúria contra um sistema, contra um corrupto, contra uma corporação violenta deve ser traduzida em mudanças, inclusive individuais, de comportamento. É muito mais produtivo e coerente escrever um texto, como o teu, ou mobilizar um protesto de repúdio do que queimar, destruir e sujar. Isso terá que ser limpo e reconstruindo. E aí perdemos dinheiro, tempo, credibilidade.
    No mais, valorizo as tuas ideias e te parabenizo pela habilidade em escrever, criatividade e clareza. Um beijo

  30. Concordo com o Gabriel, lá de cima. O problema não é a presença dos partidários, o problema é a promoção partidária oportunista, que não visa ideais populares, e sim interesses do partido. E foi o que eu percebi nos protestos. A presença deles no movimento é muito importante sim, contanto que lutem pelo povo e não pelo partido.
    Outro ponto: não concordo com “quebrar” e “depredar”. Não existe essa de quebrar e depredar com inteligência. Desculpe-me, mas isso abre brechas para a desorganização e baderna. E com total consciência do clichê, que existe para ser usado aliás, cito: “Não faças ao outro aquilo que tu não queres que te façam”. O importante é agir com a cabeça, não com os músculos. Até porque sempre sai alguém machucado.

    Meu ponto de vista.

    Quantos aos outros pontos, concordo em absoluto.

  31. Ótimo texto, Guilherme. É tão bom que eu não concordo com muita coisa ao mesmo tempo que concordo com muita coisa. Leituras assim são sempre bem vindas, ainda mais nas circunstâncias que nos encontramos.
    Mas, honestamente, essa empolgação e motivação do post ficou por aqui, entre nós que o lemos e, de alguma forma, o entendemos. Acabei de voltar do que seria o ato em Florianópolis (20/06) e estou perplexo. Não imaginava que irei viver para ver o fascismo tão vivo, tão tangível diante de mim.
    Valeu, e boa sorte.

  32. Só ñ corcordo com um coisa no texto, apesar de muito bom porque é metafórico: os vândalos, o quebra quebra, os pitboys são os mesmos sociopatas q invadem sua casa, sequestram, matam e etc. Existem em todos os lugares e até mesmo nos protestos justos e válidos.

  33. Sou da geração Coca-Cola e anos rebeldes.
    Amigo vc disse tudo que muitos de nós gostaríamos de ter dito.
    Parabéns, as mudanças nunca foram fáceis, e mudar é preciso.
    Por um Brasil mais justo e digno sempre.

  34. Parabéns ao autor!
    As pessoas que refletem o texto, criticam e postam aqui suas opiniões também devem ser parabenizadas. Porém, mais uma vez, parabenizo o autor pelo simples fato de criar a reflexão e também não concordar com tudo que ele escreve. “Desconfie de tudo”. Essa é a melhor parte! É a parte onde devemos parar e pensar. Cada um com sua causa, pois uma pessoa com muitas causas não tem nada!

    Fernando Oliveira.

  35. A frase “o povo unido não precisa de partido” não surgiu para pedir a extinção dos partidos, apenas pra expressar o fato de que esse movimento não pode ser atribuído a partido nenhum, somente ao povo. E gostaríamos que isso continuasse assim, já que as tentativas de envolvimento de alguns partidos não pareceram trazer nada além de divisão para os manifestos, talvez fosse muito mais benéfico que o movimento não pertencesse a partido nenhum para continuar pertencendo a todos. Esse é o problema dos partidos nos manifestos. Suponhamos que se erguesse uma bandeira do Corinthians ali no meio. De fato, seria anti-democrático impedir a presença dos corinthianos, mas também seria de se esperar que palmeirenses e são-paulinos reagissem. Oxalá então que ninguém nunca tenha a idéia de erguer a bandeira de time nenhum. A grosso modo, com os partidos, é assim.

  36. Esse texto é de arrepiar! Formidável e o foi o melhor sobre tudo tenha lido. Parabéns!

  37. Danilo Reinaldo.
    Este momento e histórico, mas deve ser continuo e permanente. vigilante e atento, para que realmente a mudança ocorra de fato e de direito. Nos subestimaram,nos exploraram, fomentaram a fome em beneficio próprio. E hora do basta contra a corrupção. E hora de derrubar a pec 37 e seus mentores que são verdadeiros corruptos e a escoria deste Pais. Creio que
    o que vejo nesta mudança do povo veio de forma clara consciente e na hora certa e principalmente para ficar e mudar. Por um Brasil para os brasileiros, e um basta a estes políticos corruptos, ladroes, e isto mesmo LADROES, falsos e que devem ser responsabilizados pelos seus crimes.
    20-06-2013

  38. Pingback: O gigante acordou ou levantou para fazer xixi? | Sonhos em Mosaico

  39. Tenho de dizer, li coisa para caraleo nos últimos dias. Mas tenho de dizer, você me representa neste texto. É a melhor coisa que já li até agora. Parabéns e nos vemos nas ruas.

    Dá até vontade de chorar ao ler isso.

  40. é isso, seu moço. O tempo passa e a gente esquece (sim, sou da tropa que assiste Fantástico com a família) o que é querer mudar. 🙂 Juro que achava que 100% da juventude estava alienada. Obrigada por me mostrar que não… 🙂

  41. Parabéns especialmente ao Guilherme, extensivos a todos que comentaram, mesmo com divergências. É disso que vêm as mudanças, quando as pessoas refletem, trocam, se posicionam, exigem, enfim, mesmo que os “podres poderes” teimem em ficar em seus tronos, nada será como antes!
    Será?

  42. No Brasil a ideia de partido não funciona, devemos repensar uma nova forma de fazer política. Aqui os partidos não são fieis aos seus ideais, aqui eles só servem para direcionar os votos para os congressistas que ninguém votou (o partido mais votado elegem quem quer colocar lá dentro). Acredite, não é partido que faz a democracia, nem nunca foi, é a diferença de parlamentares que produz isso. Quando você vota em alguém e ele é eleito não é o partido que o tornará fiel as ideologias e sim o caráter do cara. A Luisa Helena que o diga, vive as turras com todos os partidos onde entra, eles insistem em faze-la se dobrar porque a mulher tem uma ideia muito clara de até onde deve ir. Eles por outro lado vêem nela uma fonte inesgotável de votos. Realmente quero alguém com um argumento consistente que me faça crer que o Brasil precise de partidos.

  43. Precisamos de mecanismos de controle da legitimidade política posterior às eleições. O voto não serve como instrumento exclusivo para garantir essa legitimidade. Devem ser criadas instituições que garantam esse controle, vinculando os compromissos assumidos publicamente.

  44. É uma crise de legitimidade, na minha humilde opinião. Quando um ocupante de cargo público descumpre uma promessa eleitoral por meio da qual obteve os votos da maioria, fato banalizado no Brasil, há quebra da confiança. “Democracia está se tornando um ciclo perpétuo de eleger e se arrepender”, concluem alguns pesquisadores estrangeiros sobre as crises na Turquia e na Europa. “A copa será financiada por capital privado”; “o sistema de transportes será modernizado”; “teremos aeroportos de primeiro mundo” etc. Acredito que, confirmando-se essa crise como o núcleo do problema, possamos conseguir começar a pensar em soluções.

  45. Pra todo mundo que tá reclamando da parte dos Partidos, por favor leiam estes pontos retirados de um texto maior:

    2. Acho que há uma grande confusão quanto ao que é um partido político e qual sua função. Em primeiro lugar, originalmente um partido político um grupo de pessoas que compartilha de ideais políticos e se organiza institucionalmente para tentar concretizar esses ideais. Qualquer grupo, desde que atendendo a certos critérios, pode organizar-se como um partido. Vivemos um momento característico em que a ‘grande política’ (dos financiamentos milionários, dos marajás, das grandes bancadas) afastou-se dos ideais políticos, e em que partidos existem com o único objetivo de participar do jogo de poder em benefício de seus próprios membros, mas perceba que essa situação descrita é ESPECÍFICA, PARTICULAR.

    3. Em segundo lugar, a existência de partidos políticos e a liberdade de atuar e se expressar destes partidos são o que nos separam de uma ditadura. Antipartidário é golpista que fecha congresso. Ontem ouvi uma palavra de ordem que me preocupou bastante: “O povo unido não precisa de partido”. Para quem gritou isso, por favor me expliquem: vocês pretendem se organizar em ‘sovietes’, alguma forma de democracia direta…? Vocês pretendem acabar com partidos políticos e estabelecer um regime político autocrático?

    4. Também penso no longo prazo: e quando tudo isso acabar, o que vai sobrar? Já que a pauta não inclui uma mudança política (isto é, ninguém está defendendo acabar com o presidencialismo), será que sairemos dessa onda de manifestações com o saldo negativo de uma juventude que se recusa a se organizar para disputar as instituições de governo?

    Apartidários sim se os partidos atuais não nos representam! Antipartidários NUNCA, porque temos o dever de CONCRETIZAR todas essas insatisfações e sonhos, e para isso precisamos SIM de partidos políticos! Ainda que tenhamos que criar novos partidos.

  46. Luane, eu vejo muita coisa positiva no Danoninho. Vitaminas, proteínas… Não admito falarem mal de um produto tão importante para minha formação.

  47. E ficarão conhecidos como:

    – “A REVOLTA DOS MIMADOS”
    – “A REVOLTA DA GERAÇÃO DANONINHO”
    – “AY COMO EU SOU REVOLUCIONÁRIO”

    Guardem essa informação, quero meus direitos autorais.

  48. Um dos melhores que já li nos últimos tempos. Finalmente, alguém que estimula, além do ímpeto revolucionário, o esforço cerebral pra justificar ações!

  49. discordo da 16.
    os partidos não lutam por nossas causas, não lutam por querer o melhor para o povo.
    o partido luta para aparecer(pois so assim eles conseguem patrocínio), pra crescer e poder mamar nas tetas do governo.
    depois la dentro o partido busca querer mais. uma legenda la dentro recebe para que seus deputados votem a favor ou contra determinada proposta. e se o deputado ou senador não cumprir, ele é desfiliado.

    os partidos vão conforme seu interesses e o interesses dos seus patricinadores.

    o governo seria muito melhor se os deputados e vereadores fossem apartidários.

  50. “E saiba, com toda a responsabilidade que disso decorre, que se você não está na esquerda, está na direita.”. Não concordo. Isso deixará de existir pois numa revolução novas idéias são criadas e as antigas “direita e esquerda” deixarão de existir.

  51. Parabéns pela contribuição inteligente. O texto texto ajuda a agregar e não a desunir. A sua racionalidade e o seu discurso são novos e contibui para desarticular o “mundo dos rótulos” e das falácias. Abraço fraterno.

  52. As pessoas estão estão com nojo dos partidos pela atuação massacrante e diária da imprensa nacional contra o PT, e quando se perde a fé nas instituições democráticas é porta aberta para regimes ditatoriais veja a URSS, o Brasil da ditadura militar, Alemanha e China.
    Eu já falei anteriormente, e falo novamente, a tática dos grandes jornalões usada contra o PT nos últimos anos foi uma tática kamikase e que mais cedo ou mais tarde se voltará contra ela, aliás, se eles não perceberam já está voltando.

  53. Gabriel, não é tão difícil entender o conceito de “liberdade” da esquerda, veja bem.

    O sentido de que a tal “liberdade de expressão” só existe para eles, e não para os outros, é porque a razão que lhes guia é de tipo subjetivo: não há uma neutralidade objetiva na ideologia esquerdista. Assim sempre foi e sempre será, porque a esquerda nasceu de uma doutrina subjetiva e já com o firme propósito de enganação, (Manifesto Comunista, Karl Marx) portanto não possui objetividade existencial alguma, seus conceitos de revolução são farsas apaixonadas formuladas por uma pessoa que queria impor sua doutrina sem respeitar o livre-arbítrio das pessoas. Os líderes da esquerda trabalham sempre com as paixões das pessoas, jamais com o conhecimento neutro e objetivo, eles nunca são imparciais, mas fingem que são para obterem a paixão ideológica das pessoas. Basta reparar que se você apresenta um texto com esse teor para eles, rapidamente perdem a linha do raciocínio lógico e começam a argumentar sem objetividade alguma, expressão viva de uma consciência arruinada pela paixão ideológica. Não conseguem aceitar um ponto neutro, lógico e objetivo, porque toda a sua razão gira em torno de seus interesses.

    O autor do texto que se diz “neutro” politicamente é desmascarado por qualquer leitor atento quando usa termos do tipo “classe média coxinha”, já aí comprovamos sua tendência à esquerda. Depois, em “não permitam que lidere, mas levem em consideração presença dela”, já define a classe média como inapta para liderar qualquer coisa, mas como utilizável para manobra de ação. Sinceramente não vejo neutralidade alguma aí, é sim uma contradição gritante.

    E não adianta, a influência dos partidos é absoluta no nosso país. Isso porque o PT infiltrou-se nas escolas e diversas instituições espalhando a sua ideologia política, o resultado é que 90% dos brasileiros da geração atual cresceram com mentalidade esquerdista, e o pior: não percebem isso(ou se fazem de idiotas).

    RESULTADO: temos uma “presidenta” esquerdista. E se o presidente representa o povo – óbvio, pois foi elegido pelo povo – então o povo é, em sua maioria, esquerdista.

  54. Parabéns pelo texto, concordo com a parte dos partidos, apesar de ainda não ter me identificado plenamente com nenhum. Os anti-partidos esquecem que sem partidos políticos não há democracia, nunca ouviram falar das origens do totalitarismo. Somos muito vulneráveis e é fácil dizer que ninguém presta e ficar inerte. Ademais, se comprarmos essa ideia de que nenhum partido presta, estamos abrindo caminho para um oportunista tomar o poder absoluto. Muita coisa está errada, mas acreditar que não há mais jeito começa a gerar a ideia de que apenas um herói salvaria a pátria, no entanto, o ditador sabe se disfarçar de herói. Espero que esse seja um tempo para que todos busquem conhecimento político e passem a agir como seres políticos responsáveis por seus atos.

  55. GUILHERME, belas palavras, mas não espere unanimidade. E quando tu diz que “não existe neutralidade política”, está corretíssimo – contudo, existe SIM neutralidade partidária.

    Sempre tive um pensamento voltado para a justiça, com uma prática voltada à máxima do “fazei o bem sem olhar a quem”. Nunca precisei de bandeira para isso… mas, eis que chego à faculdade e sou “encaixotado” como um ser “freireano”. Não sou reaça, não sou comuna – apenas penso.

  56. Guilherme,

    Gostei do seu texto, só tenho uma divergência:
    No trecho seu, que transcrevi no final deste, discordo como esta colocado.
    – Entendo que a luta consciente ou inconscientemente é contra o sistema.sim. O sistema capitalista por necessidade exclui, subsidia empresas, tem falcatruas, divide e tem crises cíclicas, pois é assim que ele continua, e pode ter certeza, que é assim no mundo todo. A estimativa dos próprios governos é que durante a crise de 2008 (que continua), estes repassaram mais de 30 TRILHOES DE DOLARES para os bancos e empresas privadas. A justificativa era que assim evitariam demissões. Mentira! O nível de desemprego no mundo nunca foi tão alto. A Embraer, que é privada, recebeu dinheiro, depois demitiu mais de 4 000 trabalhadores, já em 2011 voltou a produção anterior, mas não contratou novamente. O mesmo trabalhador esta tendo que trabalhar mais. É só um minusculo exemplo esse.
    – Não existe capitalismo humanizado como dizem os reformistas, pois ele tem como base o lucro e concentração de renda. Nos países do primeiro mundo, eles até conseguiram por um tempo melhores condições de vida, mas ai a máquina começa a quebrar peças e sobra para o trabalhador. Nossa! A situação na Europa tá impressionante.
    – Um medo que entendo: a possibilidade de ditaduras existe em todos os sistemas, como na antiga União Soviética após a morte de Lenin, com o terrível stalinismo. e a atual escravidão capitalista da China (comunista só no nome). Mas também como nos países da America do Sul: Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, etc que são e eram países capitalistas e que tiveram ditaduras sangrentas financiadas pelos EUA e Europa.
    – Não é só transformando o mundo em socialista que tudo muda de um dia para o outro, mas nele teremos sim mais condições de superar nossas “fobias” e “ismos” .
    – Queremos sim socialismo, com democracia. Isso é possível, podemos tentar, pois no capitalismo já vimos que é impossível.
    VEJAM O MUNDO COMO ESTA.
    Quanto aos partidos: Que venham fazer parte da luta os que sempre estiveram na luta. Estavam antes das mobilizações, durante e continuarão independente do que aconteça. E esses tem nomes – PSTU, PSOL e PCB (não é PCdoB), como inúmeros grupos de movimentos sociais, e entidades como CSP-CONLUTAS, ANEL, etc. Os partidos da burguesia (como o que está no poder agora e os anteriores) adoram esse discurso anti-partido. HÔ!

    Mas vamos continuando, com Paciência Histórica.

    Parabéns pelo Blog.

    Augusto Nobre

    “A luta não é contra o sistema. Lutamos para nos inserirmos num sistema que nos excluiu. Não queremos o nosso dinheiro subsidiando empresas de transporte. Nós queremos o fim do lucro criminoso e ultrajante! “

  57. Genial! Eu concordo plenamente. E veja bem, ninguém está dizendo que partidos “de direita” ou que “manifestantes de direita” também se manifestem. É importante que a democracia jovem brasileira amadureça e saia dessa coisa morna. Política é campo de batalha de ideias e de projetos. Sequer ouvimos os projetos e em-cima-do-murismo só faz as coisas ficarem assim, mornas. Ah, mas tenho quase certeza que certos partidos não teriam militantes levantando suas bandeiras. A juventude de um partido até disse que era contrária as manifestações e que não aderiria de forma alguma… Ah, digo mais: reforma política já!

  58. Independente de Partidarismo, o texto está Fantástico, Uma reflexão bem elaborada, inteligente e realista.

  59. Belo texto! realmente vale a discussão de muitos pontos, mas achei principalmente que pode esclarecer muito do que sentimos.

    NÃO achei valido, entretanto, falar sobre partidos. Pode SIM, uma pessoa somente participar por um motivo do protesto. Veja bem. Nao é porque eu tenho convenio de saude que eu vou deixar de apoiar a melhoria dos hospitais e serviços de saude. Nao é porque eu estudei sempre em Colégio particular que eu nao queira ensino publico de qualidade. AGORA, EU TENHO UM MOTIVO QUE ME INCOMODA MUITO MAIS, A ORGIA QUE FAZEM COM O DINHEIRO. VIAGEM PRA EUROPA, AUXILIO MORADIA, AUXILIO BALADA, AUXILIO CORTE DE CABELO PRA MULHER E ETC. ISSO ME AFETA MUITO MAIS, VER ISSO NA CAMARA IRRITA PROFUNDAMENTE. VOTO SECRETO!! PELAMORDEDEUS. E LÁ TEMOS DEPUTADOS DE VARIOS PARTIDOS, ALGUNS SAO ETICOS E OUTROS NAO (OS DEPUTADOS). MAS ESSA É SIM MINHA UUUUNIIICAAAAA POOOSIIÇAAAO. E NENHUMA MAIS. E NAO SOU COXINHA.

    de qualquer forma, obrigado pela oportunidade de ler um ótimo texto. Tirando a parte extremamente errada NA MINHA OPINIAO.

    Um abraço

  60. Pingback: “A Revolta do Vinagre” | ENERVANTE

  61. Guilherme, achei o texto decente em sua maioria, embora não concorde com algumas coisas que você disse, coisa que qualquer um com um pouco mais de clareza das coisas vai sempre achar natural.

    Não sou “fascista”, não sou “de direita”, não sou “coxinha”, embora tudo o que eu possa vir a dizer para você ou qualquer outra pessoa de “esquerda” vá sempre soar assim, como argumentos de alguém de “direita”. Bem como quando converso com a galera que é de direita mesmo, sempre soo como alguém de esquerda. Não tenho partido e embora muitas vezes eu acredite que partidos no Brasil não servem para absolutamente nada, como muita gente já repetiu, eu concordo que não deve haver recriminação de pessoas que resolvem levantar as bandeiras de seus partidos, mas acho que se é uma vontade da maioria, ela deve ser pelo menos ouvida. Inclusive, já entrei em muita discussão por conta disso no Facebook e tem um argumento que ninguém foi capaz de me rebater. Vocês de esquerda, que usam a “liberdade de expressão” como argumento, dizendo que nenhuma bandeira de partido deve ser “proibida” de ser levantada, defenderiam meu direito de balançar uma bandeira do PSDB, caso esse fosse meu partido? Ou a democracia fica só no discurso mesmo? Repito, NINGUÉM, absolutamente ninguém foi capaz de me responder isso. Ficaram no ataque, ou então resolveram discutir outras coisas menos importantes, como por exemplo, o significado de “democracia”…

    Concordo que esses partidos estão na luta há mais tempo do que a maioria de nós, e que vão continuar na luta mesmo depois que a grande “massa” se cansar desses movimentos e voltar ao ponto de estagnação que sempre estiveram. Mas não é um pouco contraditório, uma vez que tanta gente resolveu aderir à causa (e a maioria não foi por conta de partido algum), que essas pessoas não tenham direito a ter sua opinião? Como você mesmo disse, é preciso respeitar esses partidos, mas não seria uma demonstração de respeito, inofensiva ainda por cima, se essas pessoas abaixassem suas bandeiras? A luta é a mesma, a causa é a mesma… mas sempre reclamam da “ditadura” dos “coxinhas”, do “fascismo” e do “integralismo”, e na hora de reinvidicar um direito que dizem ser de todos, fazem questão de colocar a sua marca alí? Me soa, no mínimo, curioso. Ninguém está tentando tirar o direito das pessoas estarem lá por serem de partido algum, ninguém quer que deixem de ser partidários, da mesma forma como ninguém está tentando impôr os seus partidos a essas pessoas que levantam bandeiras… é tão difícil enxergar essa incoerência? Usando uma analogia tosca, se eu, que sou hétero, resolvesse ir para a Parada Gay e levantasse uma bandeira com os dizeres “Orgulho hétero”, eu seria chamado de fascita, mesmo que todos os argumentos que vocês da esquerda deram até agora, baseado no “meu direito” e na “liberdade de expressão”, sejam, teoricamente, a favor da minha atitude. O fato de eu levantar tal bandeira não significa que eu seja contra os homossexuais, que eu ache sou superior por ser hétero ou que eu queira impor meus valores, só quer dizer que estou ali exercendo meu direito de me expressar, correto? Mas nós sabemos o que as pessoas nessa multidão pensariam, e sabemos que se eu tivesse feito isso, provavelmente nem estaria escrevendo agora. Não se trata de “direitos”, se trata de bom senso. Ou você foi vestido de bermuda e chinelo na sua colação de grau, só porque “você tinha o direito”? Porque uma multidão inteira, heterogênea, como você mesmo disse, deve “respeitar” esses partidos, mas eles não precisam “respeitar” a opinião do resto? Respeitar é aceitar o direito e a legitimidade de essas pessoas estarem lá, por elas ou representando seus partidos, o que não significa necessariamente que eu tenha que concordar com o fato de quererem balançar uma bandeira da qual eu não faço parte, que não me representa e não representa uma maioria. Bom, mas se formos falar de maiorias e minorias, já sei bem pra onde a conversa vai…

    E me desculpe, eu discordo quando você diz que “Sem nenhum partido, pela nação!” soa como “Por uma nação sem partidos!”. Isso é um sofisma tão grande e prepotente como os “reaça” que usam essa última afirmação para dar legitimidade ao integralismo. E mesmo que você tenha dito no texto que “apartidarismo não é sinônimo de anti-partidarismo”, e eu concorde, quando solta uma dessas me dá a impressão de que acabou de se contradizer.

    Enfim, você também fala sobre criar uma nova linguagem, novas abordagens, etc e no mesmo parágrafo, oração seguinte, cai no blasé da “classe média coxinha”… pô, aí não né? Como alguém que diz prezar pela consciência, que critica o machismo, racismo e moralismo, entre outras coisas, me solta uma dessas?

    No mais, acho um texto válido, mas peca por esses excessos e contradições. Sei que você não acredita em centro, mas talvez se fosse um pouco mais “centrado”, conseguisse tocar e mobilizar mais gente.

    Abraço

    Abraço

  62. A maioria das pessoas que tem repulsa por partidos, são as que foram omissas todo esse tempo. Li no post do Leandro que “Partidos políticos não significam nada no Brasil, por isso somos tão contra partidos. Candidatos mudam de lado a cada eleição, ou mesmo depois de eleitos. Vc pode se eleger por um parido e depois mudar, como pode?”
    Leandro, não pode, existe a fidelidade partidária, se o candidato mudar de partido sem justa causa, ele perde o mandato, é o que diz a resolução nº 22.733 do TSE. Essa luta é nossa, de todos os brasileiros.

  63. A esperança é a ultima que morre e a contradição sincera me encanta:

  64. Não existe neutralidade política. Infelizmente. Triste, mas é um fato. E aí, de que lado você está?

  65. “se você não está na esquerda, está na direita”. Parei de ler aqui.
    Qual dia que algum sistema ideológico, algum “ismo” (qualquer que seja) resolveu algum problema da sociedade? Nunca…
    Esses “ismos”, que podem ser tanto da “direita”, quanto da “esquerda” só existem por si la na estante, nas discussões acadêmicas etc. Só são belos lá… em nada acrescentam de prático ao nosso dia-a-dia.

  66. Então, Guilherme, primeiro parabéns pelo texto, cara! Tá muito bom e claro, mesmo que tenha algumas divergências ao meu modo de pensar, o que é natural. Gostaria de posicionar-me em relação ao item XVI, que inclusive já foi alvo de discussão aqui: ataques aos partidos políticos. Para tanto peço licença para colocar aqui um post, um pouco modificado, que fiz no FB sobre isso. Abraço, espero contribuir com um ponto de vista diferente sobre o tema.

    “A FAVOR DO APARTIDARISMO DESTE MOVIMENTO!

    Não acho que o apartidarismo do movimento iniba o cidadão envolvido de politizar-se e inclusive, no processo, de associar-se a algum partido por afinidade ideológica.

    Não consigo me convencer que a decisão de manter o movimento apartidário seja segregador. De forma alguma! Estaríamos segregando se não permitíssemos a participação, contribuição ou intervenção de pessoas que sejam de partidos políticos. Inclusive não existe opressão contra os partidos por parte das pessoas a favor do apartidarismo. O que incomodou, e falo por mim e os que estavam ao meu redor na manifestação, é que nenhum dos partidos que tinham bandeiras ao alto na segunda-feira é capaz de juntar ou organizar a multidão que vimos nas ruas Brasil a fora, portanto, colocar-se a frente da multidão com suas bandeiras como estandartes do povo que, aparentemente, os seguiam, mesmo que não intencional (e acredito nesta não intencionalidade), é sim, oportunista. Me desculpem se isso soou agressivo e desrespeitoso ao amor que possuem por seus partidos e à história deles, longe de mim! Porém, peço que se esforcem em se colocar no lugar do outro, no caso dos apartidários. É igualmente agressivo sentir que saí da minha casa/ trabalho para lutar por meus direitos, impulsionado por uma revolta imensa pelo estado absurdo em que as coisas se apresentam ao cidadão brasileiro, para engrossar as fileiras de um protesto que servirá para “alavancar” partidos que, por mais que apresentem sinergias entre suas ideologias e os objetivos do movimento, não me levaram para as ruas e nunca levariam, pois, não me representam. Os gritos e protestos ouvidos pelos que carregam bandeiras dos seus partidos nos protestos são puramente um REAÇÃO à agressão cometida por eles no primeiro momento, mesmo que não estejam cientes da totalidade das consequências dos seus atos.

    Se fosse um movimento levantado pela força de um ou mais partidos, de forma clara e explícita, seria legítimo e apoiado! De outra forma não concordo com as bandeiras! Pq não utilizar camisas, bonés, bandeiras amarradas no corpo etc? Dessa forma defendem e mostram o orgulho por seus partidos e suas inegáveis e incontestáveis histórias de lutas pelo Brasil, sem forçar que outras pessoas marchem pelas suas bandeiras “de tabela”. Pq não um meio termo? Pq um diálogo sobre isso é tão impossível?

    Por último quero deixar claro que não sou a favor de um estado apartidário, inclusive sou da opinião que o povo deveria ser muito mais politizado a ponto de votar pela legenda e não pelo candidato, pois, assim votariam em ideais e não em pessoas. O Brasil precisa voltar a acreditar em política para fazer o bem! Precisamos, sim, de partidos que representem a sociedade, assim como os seus! Mas não entendo que este movimento precise, ao menos neste momento, de bandeiras de partidos ao alto, ele se faz com a bandeira do Brasil que representa a unicidade da nação, independentemente de suas convicções políticas. Este movimento servirá como instrumento de mudanças radicais não só para governo, mas principalmente para as pessoas, tornando-as conscientes de suas convicções políticas e levando-as naturalmente, e não forçadamente, a identificar-se com os partidos políticos ora existentes.

    Por favor, não imponham suas bandeiras sobre nossas cabeças, deixem que nossas cabeças levantem suas bandeiras!”

  67. Olá Guilherme e geral!!!!Amei o texto e concordo super, mas o conceito de “Gigante acordou” não vem da direita, apesar de sim, termos q ter cuidado com ela, pois está se apoderando disso. Não acreditem, para isso assistam:

    Só pra não criamos preconceitos históricos.
    Somos a nova mídia e os conceitos não são mais monopólio da mídia ou da direita, agora sabemos disso e usaremos nossas armas para horizontalizar a comunicação!

    Mas o texto me contempla e me alegrei de lê-lo, muito obrigada. A consciência não pode ser usurpada, já somos vitoriosos, e vamos continuar a transformação humana…

  68. gostei tanto do texto quanto dos comentários que vi. O texto expressou de forma clara e concisa as preocupações que devem permear este movimento, mas no entanto sem enfraquecê-lo, mas torná-lo mais forte. Parabéns.

  69. Desculpe, achei fraco. Bem eloqüente, mas fraco. A não ser pela citação do Poderoso Chefão. E vale muito a pena ler os 3 primeiros parágrafos, são prudentes e devem ser levados como diretrizes do compromisso que estamos assumindo de mudar o pais para melhor.
    Essa balela de gigante adormecido é clichê demais. Deixem isso pra lá. Atenhamos-nos ao que importa, mudar o pais. Não precisamos de frasesinha de efeito, de jingles… Dixem isso pra rede Globo. Pecisamos de ação, objetivos.

  70. Sim, vou olhar o blog e trocar ideias. No momento as coisas estão difíceis, muito rolando ao mesmo tempo. Mas em breve entrarei em contato para dialogar e trocar impressões.
    Vamos adiante! A luta não para!
    Beijos!
    Ps: Floripa de PARABÉNS!!!

  71. Muito bom. Em um único texto representou grande parte de minhas convicções e ideias!

  72. Oi Guilherme, concordo muito com o que você fala.
    Eu estudo sobre o Brasil, sobre a política, sobre o funcionamento do sistema fazem mais de 3 anos. E há 3 anos sempre que posso discuto sobre nossa realidade seja com quem for. Desde o porteiro, o médico, advogado. E ontem eu fui pra rua em Florianópolis com sangue nos olhos, feliz que realmente o povo tinha acordado, se responsabilizado, queria ver grito, queria ver discussão política, queria ouvir soluções e não só: sou contra isso, sou contra aquilo. Oi? E dai? O que você vai começar a fazer a respeito para mudar esta realidade? Você está se informando, pesquisando se aprofundando em algo? Ou está nas superficialidade do facebook?
    Mas Guilherme, nosso papel não é excluir, é somar! Povo unido jamais será vencido? não é? Basta nós, que já abrimos nossos olhos faz tempo, educar os que estão começando a abrir. Educar no quesito informar sobre política, informar sobre o sistema, informar sobre economia.
    Quase como professores da revolução. E claro que não vai acontecer de uma hora para outra. E sim num processo gradual de no minimo um 5 anos de luta! Temos que motivar nosso povo a lutar e a se questionar, Este é nosso papel! Porque senão vamos ser os caras pintados do século 21.. ;/ esquecidos e alienados..

    http://www.manifestorevolucionario.blogspot.com.br,

    Obs: Vamos trocar idéias e soluções. Da onde você é?
    Dá uma olhada no blog e vamos nos unir para mudar!

  73. Justo e coerente ,parabéns! precisamos fazer as coisa acontecerem já… e exigir do nosso governante, o que ‘e, do nossos direitos.

  74. Apartidarismo não é só os malefícios da Ditadura. A Monarquia também é um tipo de apartidarismo: você elege trabalhadores capazes, mas o Imperador é sempre neutro, fazendo o papel de vigia para a nação.

  75. Os partidos políticos são muito importantes numa democracia. Podemos até discutir uma crise de representatividade dos partidos, sim. Mas tenho medo de um processo generalizado de demonização dos partidos, de forma geral. Vamos lutar pela mudança, sim, mas dentro do jogo democrático.
    Há movimentos sociais, há o movimento estudantil, que tem feito um trabalho lindo, com compromisso, há partidos de todos os matizes.
    Seria a mesma coisa que dizer que “todo esse povo de igreja é ladrão”, o que não é verdade.
    Enfim, não sou a favor de hostilizar partidos. Todos têm algo a dizer. Só não podemos calar quem tem algo a dizer, mesmo que seja uma minoria, organizada ou não.
    E, volto a dizer, tais partidos continuarão a lutar por melhorias depois das manifestações atuais. Os movimentos sociais, idem. Os estudantes, idem.
    Ninguém sabe o que vai acontecer, sim. Mas vamos nos concentrar, pelo menos, no que não pode acontecer, de jeito nenhum.
    Grande abraço, Leandro!

  76. Partidos políticos não significam nada no Brasil, por isso somos tão contra partidos. Candidatos mudam de lado a cada eleição, ou mesmo depois de eleitos. Vc pode se eleger por um parido e depois mudar, como pode? Além do mais, os programas de governo apresentado por candidatos não são cobrados após a eleição e não existe lei que os obrigue a cumprir. Quer dizer que partido não significa NADA. E ao contrário do texto aí, partidos não lutam por pessoas, partidos lutam pelos membros dos partidos assim como sindicatos lutam pelos membros dos sindicatos, não pelos trabalhadores que representam.
    Se houvesse artifícios legais pra partidos políticos cumprirem com seus programas pré-eleitorais, era só você ler os programas, selecionar o que mais se aproxima do teu perfil e pronto. Mas não existe isso. Além do mais, há partidos sendo criados o tempo todo no Brasil. Não para aumentar nossas opções de escolha, é simplesmente para os membros ganharem encima. Nenhum país sério tem tanto partido.
    Essa é a desilusão com a democracia. Isso, porém, não quer dizer que queremos voltar a época da ditadura… Como resolver? Ninguém sabe…

  77. Muito bom mesmo. Se não é teu, cite a fonte, é legal.
    Parabéns pela postagem!
    Estou retransmitindo ao máximo também, é muito em comum com o que penso!

  78. Jorge, foi você que se inscreveu no mailing para receber notificações de novos posts. Sinto muito que estejamos em lados opostos. Faz parte. Deve haver aí no e-mail uma opção para cancelar assinatura.
    Você viveu um período sombrio, sinto muito. Mas eu também. Senão as coisas não teriam chegado a esse ponto.
    Amanhã será um mundo novo. Acostume-se. Sorte!

  79. Vi, agora, q vc foi aluno do CPII, como eu, mas em pocas bem diferentes. Vivi um perodo sombrio que vc no vivenciou. Vc no conhece absolutamente nada, a no ser pelo que te contam e o que interessa. Somente devo dizer que temos muitas diferenas pontuais de histria e de comportamento. Inadvertidamente, sem pesquisar melhor, me inscrevi em seu blog, em funo de um post sobre Nelson Rodrigues. E s! Suas ideias polticas no me interessam, tenho frum adequado e pessoal para, se eu pretender, discuti-las e solicitar – at – opinio e recomendao. Ratifico que me exclua de seu mailing e viva o seu mundo com boa-sorte! Jorge Carrero

    Date: Wed, 19 Jun 2013 16:02:53 +0000 To: jorge-carrero@hotmail.com

  80. T fumado, tomou Prozac ou evanglico da cartilha de sermo encomendado? Cinismo vc tem at de sobra. Tenha o seu blog e arraste com ele quem se interessar e inscrito em mailing. O que vc fez ao me enviar esta msg pura intromisso e autoritarismo de espcie conhecida. Portanto, meu caro, no me envie msgs demaggicas, de sentido controverso. Me exclua do seu mailing e j!

    Date: Wed, 19 Jun 2013 16:02:53 +0000 To: jorge-carrero@hotmail.com

  81. Ainda bem que não somos da geração que assistiu homem aranha, senão iriamos querer pular em prédios

    Essa é a geração que assistiu matrix, e continua acreditando que é sobre computadores e submetralhadoras

  82. Falácia da falsa dicotomia:
    “E saiba, com toda a responsabilidade que disso decorre, que se você não está na esquerda, está na direita.”

    Se não está com nós está contra nós? Como o Bush falou?

    Tenso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s